"Detectamos na Venezuela a presença da variante brasileira da covid-19", relatou o presidente em transmissão pela televisão.

"É uma variante (...) que é mais contagiosa, transmite mais carga viral (...), é mais perigosa, mais grave".

O primeiro diagnóstico foi de um trabalhador do aeroporto de Maiquetía, que atende Caracas, onde dois casos já foram confirmados.

Outros dois foram registrados no estado vizinho de Miranda e mais seis no mineiro Bolívar, na fronteira com o Brasil.

"Já estamos nos comunicando com a Organização Mundial da Saúde, com a Organização Pan-Americana da Saúde, e queria alertar todos os nossos compatriotas (...), temos que cortar as redes de transmissão dessa variante", acrescentou Maduro.

A Venezuela, que tem quase 30 milhões de habitantes, registrou 139.934 casos positivos de covid-19 até terça-feira, com 1.353 mortes, segundo dados oficiais questionados por ONGs como a Human Right Watch.

O país começou a vacinar os profissionais de saúde contra a covid no dia 18 de fevereiro, após a chegada de 100 mil doses da vacina russa Sputnik V, das 10 milhões acertadas com Moscou.

Outras 500.000 doses da vacina chinesa Sinopharm chegaram em 1º de março.

"Começamos de forma modesta com a vacinação", disse o presidente. "Temos que seguir em frente".

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.