O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, saudou, após a reunião, "o primeiro passo de um longo caminho juntos".

"Concordamos em continuar com o trabalho, nos reuniremos em maio, seja em Roma ou em Varsóvia, a data dependerá da pandemia" de covid-19, declarou o líder soberano húngaro em coletiva de imprensa conjunta.

Ao seu lado, Matteo Salvini, chefe da Liga, falou de um "caminho que começa hoje e vai continuar em várias etapas em diferentes capitais europeias, ampliando o grupo".

"Nos apresentamos como o centro histórico e fundador" desta aliança, com "o objetivo de ser os primeiros na Europa", acrescentou, prometendo "esperança" depois do "período mais escuro e mais tenebroso do pós-guerra".

De acordo com o primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, trata-se de "representar um amplo espectro de opiniões e pessoas".

Ele defendeu "uma integração europeia (...) que respeite a soberania nacional, a família, o cristianismo", a defesa dos valores "tradicionais".

Este é o primeiro encontro entre os três homens desde que o partido de Orban, Fidesz, deixou o Partido Popular Europeu (PPE, direita).

Os três compartilham uma visão crítica da Comissão Europeia sobre o Estado de Direito e o respeito pelo direito de asilo.

sw-aa-mg-bg/anb/eg/jz/ap/mvv

FACEBOOK

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.