"Minha trajetória à frente do FPÖ termina hoje", informou o ex-candidato às presidenciais de 2016 em um comunicado.

"Tem sido muito difícil reconstruir o partido após o repentino fim" da participação do Partido Austríaco da Liberdade (FPÖ) no governo em 2019, apesar de que "conseguimos estabilizá-lo por volta de 20% nas pesquisas", acrescentou.

Hofer substituiu Heinz-Christian Strache à frente do partido em setembro de 2019. Strache teve que deixar suas funções após a difusão de um vídeo gravado com câmera escondida no qual aparecia negociando com uma mulher em troca de financiamento para seu partido.

O caso, conhecido como Ibizagate, provocou a queda da coalizão formada pela direita e pela ultradireita e o FPÖ voltou à oposição.

Nos últimos meses, a legitimidade de Norbert Hofer (50 anos) tinha sido questionada por Herbert Kickl, partidário de uma linha conspiracionista no âmbito da pandemia de covid-19 e que aspira a representar a extrema direita nas próximas eleições legislativas em 2024.

Hofer informou que pretende permanecer no cargo de vice-presidente do Parlamento e que ainda não sabe se se apresentará nas próximas eleições presidenciais.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.