O barco "Eiho Maru No. 172" foi apreendido pela Rússia na ilha de Sakhalin, no Extremo Oriente.

Guardas de fronteira russos disseram que a embarcação estava operando "na zona econômica exclusiva da Rússia", mas o porta-voz do governo japonês, Katsunobu Kato, refutou a alegação e exigiu a libertação dos pescadores.

"De ontem até hoje, temos usado o canal diplomático (...) para protestar e dar a conhecer que a perseguição, busca, captura e detenção do navio pela Rússia é inaceitável", disse Kato durante uma entrevista coletiva.

"Exigimos que os tripulantes e o navio sejam liberados imediatamente", acrescentou.

A análise dos dados de navegação mostrou que o barco estava em águas econômicas japonesas, garantiu.

Os tripulantes capturados estão com boa saúde e têm comida e água suficientes, disse Kato.

A apreensão do navio anunciada na sexta-feira passada pela Rússia ocorreu dois dias após uma colisão entre um pesqueiro japonês e um cargueiro russo na ilha de Hokkaido, no norte, na qual três tripulantes japoneses morreram.

Há uma disputa entre a Rússia e o Japão por quatro pequenas ilhas, anexadas por Moscou após o fim da Segunda Guerra Mundial, mas que Tóquio reivindica como suas.

Chamadas de "Kurilas do Sul" pela Rússia e "Territórios do Norte" pelo Japão, essas ilhas vulcânicas localizadas entre o Mar de Okhotsk e o Oceano Pacífico impedem a assinatura de um tratado de paz entre os dois países.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.