Com o plano, similar ao anunciado por outros países, o Japão pretende limitar as consequências negativas da pandemia de covid-19 em sua economia.

Suga explicou que o governo deve aprovar formalmente o plano, de 73,6 trilhões de ienes (707 bilhões de dólares), e composto principalmente por programas de empréstimos.

Este é o primeiro programa de recuperação de Suga desde que assumiu o posto de primeiro-ministro, em setembro, quando sucedeu Shinzo Abe, que renunciou ao cargo por problemas de saúde.

"Nós elaboramos (o pacote de estímulo) para pavimentar o caminho para um novo crescimento, para proteger a subsistência das pessoas, assim como os empregos e os negócios", declarou o primeiro-ministro aos integrantes de seu governo.

O Japão, relativamente pouco afetado pela pandemia de covid-19 até o momento (2.832 mortos, de acordo com números oficiais), enfrenta uma nova onda de infecções com um recorde de casos diários.

O plano de ajuda inclui medidas de sanitárias, como o apoio financeiro às instituições médicas e para idosos, e auxílios para apoiar o turismo interno e o emprego.

O programa também prevê um "fundo verde" para apoiar as tecnologias limpas como as energias renováveis, a eficiência energética, a biodiversidade e a luta contra a poluição.

O governo de Shinzo Abe anunciou dois planos de ajuda econômica, que somaram 234 trilhões de ienes (2,2 trilhões de dólares).

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.