De acordo com a organização anticolonização "Paz Agora", que monitora o desenvolvimento das colônias, as autoridades israelenses informaram ao tribunal de Jerusalém em 25 de outubro que concederiam permissões para a construção de 31 residências na área antiga de Hebron, sul da Cisjordânia, apesar de os recursos deste processo ainda não terem sido examinados pela justiça.

O projeto foi aprovado pelo conselho de planejamento superior da administração civil em 2017 e o governo destinou 6,1 milhões de dólares.

A cidade palestina de Hebron e a ONG "Paz Agora" apelaram contra o projeto.

A cidade de Hebron é um barril de pólvora onde vivem quase 800 judeus, a maioria deles por convicção ideológica, em meio a uma forte proteção militar, entre 200.000 palestinos.

Esta é a primeira vez desde 2002 que Israel autoriza os colonos a construir nesta parte da cidade.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.