O chefe da diplomacia russa chegou à capital iraniana na noite de quarta-feira para uma visita de dois dias, num momento em que as negociações sobre o programa nuclear iraniano, lançadas em Viena há mais de um ano entre o Irã e as grandes potências (Rússia, Estados Unidos, Estados Unidos, China, França, Reino Unido e Alemanha), estão estagnados desde março.

As negociações visam devolver os Estados Unidos ao acordo alcançado em 2015 entre o Irã e as grandes potências e que o Irã o respeite plenamente. Esse acordo estabeleceu uma limitação às atividades nucleares iranianas em troca da redução das sanções internacionais contra Teerã.

"As negociações estão em uma fase difícil, em um momento em que estamos chegando ao fim", disse Amir Abdollahian.

O Irã "espera seriamente chegar a um acordo justo, forte e duradouro", acrescentou, instando Washington a "mostrar realismo".

O Irã desligou algumas de suas câmeras de vigilância da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em suas instalações nucleares, depois que os Estados Unidos e os países europeus votaram uma resolução em 8 de junho denunciando a falta de cooperação de Teerã.

No entanto, o Irã declarou em 13 de junho que todas essas medidas são "reversíveis" assim que um acordo for finalizado em Viena.

O governo do presidente dos EUA, Joe Biden, disse que quer retornar ao acordo com a condição de que o Irã honre seus compromissos. Teerã exige o levantamento das sanções.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.