As chuvas torrenciais provocaram inundações e semearam desolação da Ilha de Flores, na Indonésia, ao Timor Leste.

"Após ter checado os números com nossa equipe no terreno, registramos 41 mortos", declarou à imprensa Raditya Jati, porta-voz da agência de indonésia de gestão de desastres, revisando para baixo o balanço anterior, de 44 mortos.

A porta-voz acrescentou que 27 pessoas continuavam desaparecidas e nove estão feridas.

As chuvas torrenciais provocaram inundações em vários distritos da Ilha de Flores, onde a maioria da população é católica, por volta da 1h (14h de sábado, hora de Brasília), horas antes do início das celebrações da Semana Santa.

Dezenas de casas foram cobertas pela lama, enquanto pontes e estradas foram destruídas na parte leste da ilha.

No vizinho Timor Leste, 11 pessoas morreram na capital, Dili, informaram as autoridades.

"Buscamos outras regiões impactadas", declarou à imprensa o secretário de Estado encarregado da proteção civil timorense, Joaquim José Gusmão dos Reis Martins.

Espera-se que as condições meteorológicas extremas continuem durante toda a semana na região.

Na Indonésia, as inundações também afetaram a cidade de Bima, na província vizinha das ilhas da Sonda ocidentais (West Nusa Tenggara), e causaram a morte de duas pessoas.

Represas transbordaram e submergiram quase 10.000 casas em Bima, após nove horas de chuvas, disse Jati.

Os deslizamentos de terra e as inundações repentinas são habituais no arquipélago indonésio, especialmente durante a temporada de chuvas. Mas ambientalistas apontam o desmatamento como um fator que favorece estres desastres.

Em janeiro, 40 indonésios morreram em inundações que afetaram a cidade de Sumedang, no oeste de Java.

A agência nacional de gestão de catástrofes calcula que 125 milhões de indonésios, aproximadamente a metade da população do arquipélago, vivem em áreas de risco de deslizamentos.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.