Grossi fez essas declarações em Viena, no primeiro dia de um Conselho de Governadores da AIEA, depois que Teerã ameaçou, em uma nota informal, "acabar" com um compromisso que permite que o órgão continue supervisionando o programa nuclear da República Islâmica.

Este é um acordo temporário de três meses estabelecido entre o Irã e a AIEA em 21 de fevereiro, para permitir que a agência da ONU continue com seus trabalhos de vigilância, mesmo que de forma restrita, enquanto se iniciam as negociações diplomáticas dos signatários do pacto de 2015 sobre o programa nuclear iraniano.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.