A capital da Grécia voltou a acordar com o odor e a fumaça de um incêndio que voltou a atingir na quinta-feira à tarde monte Parnes, que queimou mais de 1.200 hectares.

"Nosso país enfrenta uma situação extremamente crítica" declarou o primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis, em referência às dezenas de incêndios que afetam o país há uma semana, em meio a uma onda de calor.

"Enfrentamos condições sem precedentes, pois vários dias de forte calor transformaram todo o país em um barril de pólvora" completou.

O vice-ministro da Proteção Civil, Nikos Hardalias afirmou que 57 dos 99 incêndios contabilizados na quinta-feira permaneciam ativos durante a noite, em particular na ilha de Eubeia e no Peloponeso, nas regiões oeste e leste do país.

Na localidade de Afidnes, 30 km ao norte de Atenas, sofre com as chamas, intensificadas pelo vento, mais violentas.

A estrada que liga Atenas ao norte do país e a rodovia nacional foram bloqueadas por precaução.

Ao menos 450 bombeiros gregos trabalham para conter as chamas, auxiliados por apoio aéreo e veículos terrestres.

A Proteção Civil grega deve receber reforços da França, Chipre, Suécia e Israel.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.