As chamas tiveram início em um imóvel comercial no oeste da capital à tarde e foram controladas à noite. O motivo do incidente é desconhecido.

"Foram recuperados 27 corpos carbonizados do edifício e quase duas dezenas de pessoas feridas estão em tratamento", disse à AFP Satpal Bharadwaj, encarregado local do corpo de bombeiros.

O bombeiro afirmou que havia cerca de 70 pessoas no prédio quando começou o incêndio. "Não havia saída de incêndio e a maioria das pessoas morreu asfixiada", explicou.

Diversas fontes indicavam um balanço de feridos maior.

Sunil Choudhary, vice-chefe dos bombeiros de Délhi, informou que havia "mais de 25 pessoas" feridas, entre elas as que pularam do edifício para escapar das chamas.

Mais de 40 pessoas sofreram queimaduras e foram hospitalizadas, segundo relatos da imprensa. Entre 60 e 70 pessoas foram resgatadas do prédio, de acordo com a mídia local, com informações da polícia.

O grande incêndio começou em um prédio comercial de quatro andares na zona oeste de Délhi no final da tarde.

Segundo o jornal Times of India, o proprietário do prédio foi detido.

Os incêndios são comuns na Índia devido a más práticas de construção e falta de conformidade com os regulamentos de segurança.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, ofereceu suas condolências às famílias das vítimas no Twitter.

"Extremamente triste pela perda de vidas devido à um trágico incêndio em Délhi. Meus pensamentos estão com as famílias em luto. Desejo uma rápida recuperação aos feridos", escreveu.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.