Os quatorze homens foram "condenados à morte ontem (quinta-feira) pelo assassinato" de Max Nsenga Ntumba e de Percé Muamba Ntumba, dois rappers de Kinshasa que se encontravam na província do Kongo Central, disse à AFP Trésor Lobo, um dos advogados da parte civil.

Na República Democrática do Congo, a pena de morte pode ser imposta, mas não é aplicada, sendo comutada por prisão perpétua desde 2003.

Ao todo, 25 pessoas foram processadas neste caso, nove delas absolvidas por falta de provas. Os juízes arquivaram o processo para outras duas.

Os irmãos gêmeos, de 28 anos, foram espancados até a morte e queimados vivos, após serem acusados de tentar roubar a motocicleta de um motorista que os transportava na noite de 30 para 31 de julho.

O evento causou polêmica em Kinshasa e no Kongo Central, uma região onde os dois irmãos rappers eram conhecidos.

Os gêmeos foram enterrados em uma vala comum e, depois, exumados e enterrados em um cemitério em Kinshasa.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.