De acordo com um vídeo postado no Twitter, Macron se aproxima de um grupo de pessoas e fala com um homem, que agarra seu antebraço e parece dar um tapa nele. A equipe do presidente evocou "uma tentativa de agressão".

No mesmo vídeo, pouco antes do incidente, é possível ouvir grito de guerra monarquista "Montjoie Saint Denis!" e também "Abaixo a macronia!"

Duas pessoas foram detidas, informou a prefeitura.

"O homem que tentou agredir o presidente e outro indivíduo estão sendo interrogados pela brigada da gendarmaria de Tain-L'Hermitage", disse a prefeitura sem dar qualquer informação sobre sua identidade.

"Por volta das 13h15 (8h15 de Brasília), o presidente entrou em seu carro após uma visita a uma escola secundária e saiu porque as pessoas presentes o chamavam. Ele foi em direção a elas e nesse momento ocorreu o incidente", explicou a prefeitura.

O presidente continuou com a visita, segundo fontes da presidência.

O primeiro-ministro Jean Castex tomou a palavra na Assembleia Nacional para condenar a tentativa de agressão.

"A política não pode ser a violência, a agressão verbal e menos ainda a agressão física", disse Castex.

Os líderes da oposição também condenaram o ataque.

"É inadmissível agredir fisicamente o presidente da República, os líderes políticos, mas ainda mais o presidente", declarou Marine Le Pen, candidata de extrema direita à presidência.

"Me solidarizo com o presidente", disse o candidato presidencial de esquerda Jean-Luc Mélenchon em sua conta no Twitter.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.