"O indivíduo está agora detido e não há ameaça para o público", disse a Polícia de Nova York em um tweet.

"Todas as portas para pedestres e veículos do complexo da sede da ONU estão abertas e operam com normalidade", declarou, por sua vez, o serviço de segurança da organização.

Segundo imagens difundidas pelas redes sociais, gravadas por pessoas que estavam em edifícios próximos, um homem de cabelos brancos e vestido com uma jaqueta vermelha apontava a escopeta contra o próprio pescoço.

O homem se posicionou na grade que protege o complexo, ao lado da marquise de um ponto de ônibus, e caminhava nervosamente pela calçada, empunhando sua arma.

Diversas viaturas da polícia cercaram a região, fechando o trânsito para pedestres e veículos no trecho da 1ª Avenida que margeia o complexo ONU e a rua 42.

"Continuem evitando a área", aconselhou a polícia, alertando para a possibilidade de ocorrer engarrafamentos.

"A área está isolada pela polícia e o pessoal da ONU não corre perigo", havia informado o serviço de segurança da ONU.

Uma das entradas do complexo da ONU, situada na rua 46, longe de onde estava o homem, foi aberta pouco depois do primeiro alarme.

Antes disso, um encarregado - que pediu anonimato - havia informado que "um homem com um fuzil ameaça se matar" em uma das entradas do edifício.

Até o momento, não se sabe quais eram as reivindicações ou os motivos do homem para cometer esse ato. Segundo alguns veículos de comunicação norte-americanos, ele poderia sofrer de transtornos mentais.

O fechamento da sede da ONU não gerou nenhuma perturbação no interior do edifício, onde o Conselho de Segurança deu continuidade a uma reunião sobre o Iraque.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.