"Tomei a decisão de renunciar a todos os meus direitos sobre este quadro. Inclusive renunciar ao meu título de proprietária, renunciar em benefício da Fundação da Universidade de Oklahoma", afirmou Meyer em um comunicado ao qual a AFP teve acesso.

Paralelamente, a universidade americana e Meyer anunciaram um acordo que encerrou a batalha judicial entre a herdeira e o museu do estabelecimento, o Fred Jones Jr. Museum of Art.

"A pastora trazendo as ovelhas", pintado em 1886 por Camille Pissarro, foi alvo de uma intensa batalha judicial entre Meyer, de 81 anos, uma órfã que se salvou do Holocausto ao ser adotada no final da Segunda Guerra Mundial pelos proprietários do quadro, e o museu da Universidade de Oklahoma, que a recebeu como legado em 2000.

Um tribunal francês vai anunciar amanhã uma decisão sobre a questão, mas o acordo entre as duas partes encerra o processo.

A obra fazia parte da coleção de Raoul Meyer e Yvonne Bader, filha do fundador das Galeries Lafayette. Em 1940, esta família guardou o quadro no cofre de um banco, mas em 1941 os nazistas o confiscaram.

No fim da guerra, a família recuperou uma parte de seus bens, mas não este quadro. Em 1951, a pintura reapareceu na Suíça e depois em Nova York.

Em 1957, um casal de colecionadores americanos o comprou, e em 2000 foi legado à Fundação da Universidade de Oklahoma.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.