"O governo, depois de receber garantias das autoridades sanitárias, dá seu consentimento para que nossos atletas participem", declarou o ministro dos Esportes, Sanoussy Bantama Sow, em um comunicado.

Além disso, nesta quinta-feira uma fonte próxima do governo da capital Conakri mencionou problemas financeiros para justificar a desistência deste país pobre da África ocidental aos dois dias da cerimônia de abertura, na sexta-feira.

"Devido ao aumento das variantes da covid-19", o governo, "preocupado em proteger a saúde dos atletas da Guiné, decidiu com pesar o cancelamento da participação da Guiné" nos Jogos de Tóquio, escreveu Sow em uma carta destinada ao presidente do Comitê Olímpico da Guiné, à qual a AFP teve acesso.

"Surgiu um custo extra para o envio da delegação e o ministério não tem como pagar", disse à AFP uma fonte próxima ao governo, que preferiu manter o anonimato e que não forneceu mais detalhes.

A Guiné, que não conseguiu uma única medalha em suas 11 participações nos Jogos Olímpicos, deve enviar Fatoumata Yarie Camara (luta livre), Mamadou Samba Bah (judô), Fatoumata Lamarana Touré e Mamadou Tahirou Bah (natação) e Aissata Deen Conté (atletismo, 100 m feminino).

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.