"O Ministério das Relações Exteriores não convidará Nicolás Maduro para os atos de transmissão de comando, já que o Estado Plurinacional da Bolívia reconhece o Governo do presidente em exercício Juan Guaidó como governo legítimo da Venezuela", afirmou o ministério em nota.

O governo Áñez baixou um decreto para organizar os atos de posse do governo ao esquerdista Arce, vencedor das eleições gerais do último dia 18 deste mês.

Segundo a chancelaria, o governo eleito manifestou o desejo de convidar Maduro e o ex-presidente Evo Morales para as cerimônias de La Paz, mas que "não fará esses convites".

O governo de transição boliviano, empossado apenas em novembro de 2019, após a renúncia do esquerdista Morales à presidência, rompeu relações com a Venezuela, que foram muito estreitas durante os 14 anos de renúncia do governo.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.