A gigante da mídia social remove regularmente informações incorretas e potencialmente prejudiciais sobre o vírus e, desde outubro, baniu anúncios que desencorajam as pessoas a se vacinarem.

"Nas próximas semanas, começaremos a remover falsas alegações sobre essas vacinas que foram descobertas por especialistas em saúde pública no Facebook e Instagram", disse a empresa em um blog.

"Isso pode incluir alegações falsas sobre a segurança, eficácia, componentes e efeitos colaterais das vacinas", incluindo "alegações falsas de que as vacinas contra a covid-19 contêm microchips ou qualquer outra coisa que não esteja na lista oficial de ingredientes da vacina", além de "teorias da conspiração" que foram provadas falsas, disse o Facebook.

A empresa disse que os critérios para considerar os posts elegíveis para remoção serão alterados com base na "orientação das autoridades de saúde pública".

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.