"O príncipe foi convidado a interromper algumas atividades que poderiam ser usadas para ameaçar a estabilidade e segurança da Jordânia", explicou o exército no comunicado, negando ao mesmo tempo que o príncipe Hamza foi detido.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.