A Tribune Publishing, proprietária do Chicago Tribune, do Baltimore Sun e de outros grandes jornais regionais, iria vender a empresa à Alden Global Capital por um valor de 630 milhões de dólares. O fundo de investimentos tem a reputação de reduzir agressivamente a equipe das redações.

O empresário da Maryland, Stewart Bainum, teve outra ideia: inicialmente chegou a um acordo para comprar o Baltimore Sun como parte da transação, mas quando esse plano foi frustrado, fez uma oferta de 650 milhões de dólares por toda rede.

Bainum, presidente da Choice Hotels, comprometeu-se a fornecer 100 milhões de dólares, uma quantia à qual dois outros ricos investidores prometem se juntar. Não está claro, no entanto, se poderá arrecadar o suficiente a tempo para evitar o acordo da Tribune com Alden.

Somaram-se à iniciativa de Bainum o bilionário suíço Hansjoerg Wyss, que declarou ao New York Times que investiria 100 milhões de dólares, e Mason Slaine, acionista minoritário da Tribune e ex-diretor-geral da Thomson Financial.

Slaine declarou ao Wall Street Journal que se comprometeria a ofertar a mesma quantia para adquirir o Orlando Sentinel e o Sun-Sentinel em seu estado da Flórida.

Em meio aos esforços para encontrar compradores para outros jornais da Tribune, surgiu um "misterioso" investidor para o Morning Call que oferece entre 30 milhões e 40 milhões de dólares pelo jornal, segundo o jornal de Allentown, Pensilvânia.

Se Banium tiver sucesso, é provável que venda alguns dos jornais - que incluem o Hartford Courant e o Virginian-Pilot - e que alguns se tornem organizações sem fins lucrativos.

O resultado desta compra poderia ser um ponto de virada para a problemática indústria da mídia impressa, seja para um modelo com apoio cívico para ampliar a cobertura local de notícias, ou para um modelo puramente econômico que poderia levar a maiores cortes nas redações.

O emprego nas redações dos jornais americanos caiu pela metade entre 2008 e 2019, segundo o Pew Research Center, e foram registrados mais cortes durante a pandemia.

Jon Schleuss, presidente da NewsGuild, que representa os jornalistas de vários jornais da Tribune, também está pressionando para obter apoio cívico e compradores locais com a esperança de evitar mais demissões.

Para complicar as coisas, Alden já possui uma participação de 31,6% na Tribune, o que lhe dá influência sobre qualquer transação. Outros 24% são propriedade de Patrick Soon-Shiong, um bilionário da biotecnologia que comprou o Los Angeles Times da Tribune Publishing em 2018.

rl/bgs/mps/rsr/aa/tt

THE NEW YORK TIMES COMPANY

CHOICE HOTELS INTERNATIONAL

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.