Blinken, que realiza uma viagem pela Ásia, falou por telefone com o primeiro-ministro armênio, Nikol Pachinian, e com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, informou o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price.

"O secretário Blinken garantiu ao primeiro-ministro Pachinian que o Estados Unidos acompanha de perto a situação em Nagorno-Karabakh e seus arredores", explicou Price.

Em suas conversas com os dois líderes, Blinken "instou o diálogo direto entre Armênia e Azerbaijão para resolver questões relacionadas ou decorrentes do conflito de Nagorno-Karabakh", acrescentou.

É provável que os incidente recentes afetem o diálogo sobre o tratado de paz, mediado pela UE, que vem ocorrendo há vários meses entre o Azerbaijão e a Armênia, duas ex-repúblicas soviéticas rivais.

Após uma guerra que deixou mais de 30.000 mortos no início da década de 1990, os países voltaram as se enfrentar no outono de 2020 pelo controle de Nagorno-Karabakh, região montanhosa que os armênios apoiaram quando se separou do Azerbaijão.

Após a última guerra, a Armênia cedeu partes do território que controlou por décadas, e a Rússia mobilizou cerca de 2.000 soldados das forças de paz para supervisionar a frágil trégua.

A retomada dos combates nesta semana deixou três mortos e ambos os lados se acusam de violar o cessar-fogo.

Na quarta-feira, o Azerbaijão afirmou ter perdido um soldado, enquanto o exército de Karabakh assegurou que dois membros de suas tropas haviam morrido.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.