"Continuaremos contribuindo para o fortalecimento da capacidade de nossos parceiros na África, incluindo a capacidade de desenvolver operações contraterrorismo", informou Kirby a repórteres.

"Continuaremos a dar algum apoio, do tipo que demos aos franceses de acordo com as suas necessidades na região", acrescentou.

Na região do Sahel na África, Washington até agora apoiou a Operação Barkhane com inteligência e vigilância, reabastecimento em voos e transporte logístico.

Os Estados Unidos continuam "ligados" às operações de contraterrorismo de seus parceiros na África, acrescentou Kirby. "Uma grande parte é ajudá-los a construir seus próprios recursos para esse tipo de operação", acrescentou.

O presidente francês Emmanuel Macron anunciou quinta-feira que a presença militar francesa no Sahel será reduzida, com o fechamento de bases e uma reorganização da luta antiterrorista em torno de uma "aliança internacional" com parceiros europeus.

Macron não deu números em termos de tropas, mas mencionou que o total de bases francesas na região será reduzido.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.