"Nos últimos dias, agimos por meio de ataques aéreos para apoiar a ANDSF", disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby, referindo-se às forças do governo afegão.

"Continuamos (...) realizando ataques aéreos em apoio à ANDSF", afirmou a repórteres em coletiva de imprensa, acrescentando que o chefe do Comando Central do Exército dos Estados Unidos (Centcom), o general Kenneth McKenzie, havia autorizado o ataque.

Kirby disse que não poderia fornecer mais detalhes sobre os ataques aéreos, mas reiterou a declaração de ontem do secretário de Defesa, Lloyd Austin, de que os Estados Unidos continuam "comprometidos em ajudar as forças de segurança afegãs e o governo afegão".

O poder aéreo americano fornece às forças afegãs uma vantagem tática contra o Talibã, que muitos temem que seja corroída pela retirada das tropas internacionais.

Na quarta-feira, o chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, o general Mark Milley, reconheceu que o regime talibã agora controla cerca de metade dos 400 distritos do Afeganistão, mas acrescentou que não tomou nenhuma das principais cidades.

Ele acrescentou que a retirada dos EUA, que terminará em 31 de agosto, está 95% concluída.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.