O dinheiro servirá para financiar quatro programas, que incluem projetos de captura de CO2 diretamente do ar e das fábricas, visando ao seu armazenamento, segundo o Departamento de Energia. O fundo faz parte do pacote de infraestrutura de US$ 1,2 trilhão que o presidente Joe Biden promulgou em 2021.

Em seu relatório mais recente, a ONU afirma que o mundo precisa capturar e armazenar dióxido de carbono do ar e dos oceanos, independentemente da velocidade com que os países consigam reduzir suas emissões de gases do efeito estufa.

Consideradas por muito tempo um esforço marginal ou estratégia industrial para evitar reduzir suas emissões de carbono, as medidas de remoção de CO2 são agora uma necessidade, segundo o painel intergovernamental sobre as mudanças climáticas.

O dióxido de carbono capturado do ar é um método recente que desperta grande interesse, embora seu potencial para projetos de larga escala ainda não tenha sido comprovado. Espera-se que os quatro programas do Departamento de Energia sejam capazes de capturar e armazenar até 1 milhão de toneladas de CO2 por ano.

O governo anunciou no começo de maio sua intenção de investir 2,25 bilhões de dólares em projetos de armazenamento de CO2, valor também incluído nos gastos com infraestrutura. As gigantes do petróleo americanas ExxonMobil e Chevron, às quais se pediu mais ações para combater as mudanças climáticas, também focaram nessa tecnologia para reduzir seu impacto sobre o meio ambiente.

jum/vmt/er/to/wd/cjc/yow/lb

EXXONMOBIL

CHEVRON

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.