Durante uma visita às obras do futuro Cyclops (Centro de Segurança Terrestre, Marítima e Portuária do Chipre), o chanceler cipriota, Nikos Christodoulides, afirmou que abriria suas portas em 16 de janeiro de 2022.

"A implantação de um centro de treinamento regional pertencente ao Chipre é um peão no reforço das nossas relações [com os Estados Unidos] em termos de segurança", disse o ministro cipriota.

Vários países europeus e alguns do Oriente Médio expressaram seu "grande interesse" pelos treinamentos sobre controle alfandegários e de cibersegurança, afirmou.

A embaixadora americana no Chipre, Judith Garber, afirmou que o Cyclops, cuja construção começou em janeiro perto do porto de Lárnaca (sul), "fornecerá mais segurança para a região".

O Chipre, localizado no Mediterrâneo ocidental, está dividido desde que o exército turco invadiu em 1974 o terço norte, em reação a uma tentativa de golpe de Estado para voltar a unir a ilha à Grécia.

Sua parte sul faz parte da União Europeia (UE) e mantém boas relações com os países próximos, como Egito, Israel e Líbano, razões que motivaram a instalação do Cyclops, segundo Nicosia.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.