O governo americano "está traçando uma estratégia ambiciosa à medida que avançamos nos planos (...) para enfrentar a mudança climática, criar empregos bem remunerados e acelerar a transição da nação para um futuro energético mais limpo", disse a secretária do Interior, Deb Haaland, durante uma conferência sobre energia eólica em Boston.

Em março, o governo do presidente Joe Biden anunciou investimentos para estimular os parques eólicos, como parte de sua agenda para combater a mudança climática.

Segundo a Casa Branca, os planos do governo gerariam 30 gigawatts de energia eólica para 2030, suficiente para abastecer 10 milhões de residências nos Estados Unidos, e reduziriam em 78 milhões de toneladas as emissões de dióxido de carbono.

Para isto, o governo Biden pretende investir mais de 12 bilhões de dólares por ano nas costas do Atlântico e Pacífico, criando dezenas de milhares de postos de trabalho.

Haaland afirmou que o governo planeja até sete concessões para turbinas eólicas no Golfo do Maine, no Atlântico central e no Golfo do México, assim como nas costas de Nova York, das Carolinas, Califórnia e Oregon.

Apenas um parque eólico marinho está completamente operacional nos Estados Unidos: o Block Island Wind Farm, concluído em 2016 no estado de Rhode Island e capaz de produzir 30 megawatts.

O apoio à energia eólica do atual governo contrasta com a política do ex-presidente Donald Trump, que em vários momentos de seu mandato ridicularizou as fontes de energia renováveis, alegando que são caras e ineficientes.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.