"Os Estados Unidos condenam o lançamento de mísseis da RPDC. O lançamento viola múltiplas resoluções do Conselho de Segurança da ONU e representa uma ameaça aos seus vizinhos e a outros membros da comunidade internacional", disse um porta-voz do Departamento de Estado, referindo-se à Coreia do Norte, cujo nome oficial é República Popular Democrática da Coreia (RPDC).

Mas acrescentou: "Seguimos comprometidos a ter uma abordagem diplomática com a RPDC e os convidamos a se envolverem em um diálogo"

O governo do presidente Joe Biden disse em abril em uma revisão de sua política com a Coreia do Norte que desejava manter relações com Pyongyang.

Mas também indicou que buscava uma nova abordagem política após a diplomacia incomum do ex-presidente Donald Trump, que se reuniu três vezes com o autoritário líder norte-coreano Kim Jong Un.

Trump dizia que deveria ter recebido o Nobel da Paz por evitar uma guerra, mas a Coreia do Norte nunca assinou nenhum compromisso para encerrar seu programa nuclear.

Pyongyang está sob sanções internacionais após uma série de testes de mísseis nucleares e balísticos de longo alcance.

O porta-voz do Departamento de Estado afirmou que os compromissos de Washington em relação à defesa da Coreia do Sul - que nesta quarta-feira realizou seus próprios lançamentos de mísseis balísticos - e com o Japão "permanecem blindados".

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.