"Vemos isso como um passo construtivo e, certamente, bem-vindo", declarou o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, ressaltando que os Estados Unidos não participaram diretamente das conversas. "É uma etapa potencialmente útil enquanto buscamos determinar o que os iranianos estão dispostos a fazer para voltar a cumprir as limitações estritas do acordo de 2015 e, como resultado, o que precisamos fazer para voltar a cumpri-lo nós mesmos."

Os aliados europeus dos Estados Unidos, juntamente com Rússia e China, estão reunidos com o Irã na capital austríaca, na tentativa mais contundente já feita de reativar o acordo nuclear, do qual os Estados Unidos foram retirados pelo ex-presidente Donald Trump.

Com a oposição do Irã a se reunir diretamente com os americanos, o enviado de Washington, Rob Malley, está em um hotel à parte com diplomatas europeus. O Irã deseja que Biden levante, primeiramente, as sanções impostas por Trump quando ele abandonou o acordo, em 2018.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.