Este texto, um acordo assinado entre a ONU e o ministro etíope da Paz, autoriza um acesso "sem restrições, contínuo e seguro de pessoal e serviços humanitários à população vulnerável nas regiões administradas pelo governo em Tigré" e nas regiões vizinhas de Amhara e Afar.

Um alto funcionário da ONU, que pediu para não ser identificado, disse hoje à AFP que este acordo permitirá que as Nações Unidas e as organizações humanitárias levem ajuda "aonde as pessoas precisam".

Há semanas, a ONU alerta para uma possível catástrofe humanitária na região dissidente, isolada do mundo desde o início do conflito.

Estas quatro semanas de combates, desde que o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, enviou as Forças Armadas federais para a região do Tigré em 4 de novembro, causaram a fuga de 45.000 pessoas para o vizinho Sudão e um número indeterminado de deslocados no interior da região.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.