"Um drone infravermelho identificou um sinal que pode indicar uma segunda fissura no reservatório sul de Piney Point", disse Jake Saur, diretor de segurança pública do condado de Manatee, na costa oeste deste estado dos Estados Unidos, em uma coletiva de imprensa.

Os engenheiros estão avaliando a nova situação, acrescentou Saur, à medida que os despejos continuam na área da baía de Tampa em meio à ameaça de que milhões de galões de água contaminada vazem da antiga fábrica de fosfato de Piney Point.

Os especialistas continuam a bombear a água para fora da cisterna a uma taxa de 35 milhões de galões (132 mil m3) por dia.

A água contaminada está sendo lançada na baía de Tampa em um esforço para evitar uma inundação na área que poderia representar um grande desastre, embora a solução também ameace colapsar uma delicada ecologia da qual dependem a vida marinha e o turismo.

Moradores de mais de 300 casas próximas às instalações abandonadas, no condado de Manatee, evacuaram a área após uma ordem de evacuação no fim de semana.

Também foi evacuado o primeiro andar do presídio do condado, segundo as autoridades. Cerca de 345 presos foram transferidos de ônibus para um local não revelado, enquanto os outros foram levados com funcionários para o segundo andar.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, declarou no sábado estado de emergência em três condados na reigão da baía de Tampa, para liberar recursos e enfrentar a crise.

Se a potencial inundação da área ao redor da antiga fábrica de Piney Point for evitada com sucesso, toda a água contaminada pode ir para o mar.

"Seria como despejar 50 mil sacos de fertilizante na baía", explicou Ed Sherwood, diretor do Tampa Bay Estuary Program, ao jornal Tampa Bay Times.

DeSantis disse no domingo que essas águas residuais "atendem aos padrões de qualidade da água para águas marinhas", embora tenham quantidades excessivas de fósforo e nitrogênio.

As algas crescem muito rápido com esses elementos, e grupos ambientais temem que uma descarga no oceano de milhares de litros dessas águas ricas em nutrientes possa causar uma "maré vermelha" mortal ou uma explosão de algas, que afetaria seriamente não apenas a vida marinha, mas também a atividade turística.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.