"O governo dos Estados Unidos alerta que pular no mar com essas embarcações inadequadas é ilegal e extremamente perigoso", disse o tenente-comandante Mario Gil, que se identifica como um contato da Guarda Costeira na embaixada de Washington.

Em sua mensagem em espanhol, divulgada sexta-feira à noite pela legação diplomática no Twitter, Gil enfatiza que "nos últimos meses houve um ligeiro aumento nos casos de migração marítima ilegal", e pede aos cubanos "que usem as estradas legais, seguras e ordeiras que existem para emigrar para os Estados Unidos".

"Proteja seus entes queridos, evite a migração ilegal", ele pede.

Seu chamado chega quase um mês depois que as autoridades cubanas relataram o naufrágio de um barc perto das Bahamas, com um morto, vários desaparecidos, incluindo mulheres e crianças, e 12 sobreviventes.

Em nota sobre o fato, datada de 11 de março, a chancelaria da ilha destacou que "entre os fatores que constituem incentivos à migração irregular está a suspensão do processamento e da concessão de vistos (...) no Consulado dos Estados Unidos em Havana e a transferência desses procedimentos para países terceiros".

Também menciona a violação do compromisso dos Estados Unidos de garantir a migração legal de Cuba de um mínimo de 20.000 cubanos por ano.

Mais de 100 imigrantes cubanos foram interceptados no mar desde outubro passado, tentando cruzar o estreito da Flórida para chegar aos Estados Unidos, disse a Guarda Costeira dos EUA em fevereiro.

rd/dga/ap

Twitter

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.