A moção foi apresentada pela oposição, depois que Gantz disse que seu partido de centro direita Azul e Branco votaria a favor.

O projeto agora deve ser debatido em uma comissão parlamentar, o que abre caminho para a dissolução da Câmara e novas eleições.

A proposta de dissolução foi aprovada por 61 votos a favor e 54 contra.

A iniciativa partiu do chefe da oposição, Yair Lapid, que acusou o atual governo de coalizão no poder de ser "o pior da história de Israel" e de não ter administrado a crise do coronavírus.

Benny Gantz anunciou inesperadamente que votaria a favor, e o fez nesta quarta. Ele acusa Netanyahu de agir em prol de interesses próprios, e não do país.

A dissolução do Parlamento provocaria as quartas eleições em menos de dois anos em Israel.

Nas três chamadas anteriores, Netanyahu e Gantz não conseguiram desempatar.

Os dois políticos acabaram se comprometendo e formando uma coalizão, mas as divergências têm sido contínuas nos últimos meses, segundo a imprensa, principalmente em torno da preparação dos orçamentos para este ano e para 2021.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.