O Comitê Olímpico Norte-Coreano decidiu em reunião "não participar da 32ª edição dos Jogos, para proteger os atletas da crise de saúde mundial gerada pela Covid-19", indicou o serviço de informações do Ministério dos Esportes.

A última participação olímpica do isolado e nuclearizado país norte-coreano foi em Jogos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul, e contribuiu para a reaproximação diplomática entre os dois vizinhos em 2018.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, enviou a irmã Kim Yo Jong para esses jogos, nos quais o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, aproveitou para promover negociações entre Pyongyang e Washington que resultaram em dois encontros entre Kim e o presidente americano, que na época era Donald Trump.

O anúncio de Pyongyang põe fim às esperanças de Seul de transformar os adiados Jogos de Tóquio em uma nova oportunidade para reativar o processo de negociação da paz que está paralisado desde o fracasso da última reunião entre Kim e Trump em Hanói (Vietnã) em fevereiro de 2019.

O presidente Moon deixou claras as suas intenções no dia 1 de março, durante o discurso por ocasião do feriado nacional da independência da Coreia do Sul. "Os Jogos Olímpicos de Tóquio que acontecerão este ano poderiam ser uma oportunidade para o diálogo entre Coreia do Sul e Japão, o Norte e o Sul, Coreia do Norte e Japão, e Coreia do Norte e Estados Unidos".

O anúncio, que data desta segunda-feira e foi publicado nesta terça-feira no site do ministério dos Esportes, indica que trata-se de uma decisão do Comitê Olímpico Nacional ocorrida no dia 25 de março.

A agência de notícias estatal KCNA já havia informado sobre a reunião, mas sem mencionar a decisão.

A Coreia do Norte é objeto de sanções internacionais por seu programa de armamento nuclear e mísseis proibidos por resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O país está mais isolado do que nunca desde que decretou há pouco mais de um ano o fechamento das fronteiras como forma de proteção contra o coronavírus, que surgiu inicialmente na China, antes da propagação por todo o mundo.

Pyongyang afirma que não registrou casos de covid-19 em seu território, mas os especialistas duvidam da informação.

O governo do presidente americano, Joe Biden, que chegou ao poder em janeiro, informou que está na fase final da análise de sua futura política a respeito da Coreia do Norte.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.