Os corpos foram encontrados em quatro valas e um barranco do município Olaya Herrera. Tratariam-se de combatentes do Bloco Ocidental Alfonso Cano, que "teriam morrido em confrontos armados" com membros da Coluna Móvel Franco Benavides. Ambos os grupos são considerados dissidentes por terem se afastado do acordo de paz assinado em 2016 com as Farc, que desarmou cerca de 13 mil guerrilheiros, sob a supervisão da ONU.

Desde o último dia 18, os grupos armados disputam em Nariño mais de 36 mil hectares de folha de coca e dinheiro de extorsão, informou à AFP o Exército. O conflito na região provocou a fuga de 3.092 pessoas este ano, segundo o governo de Nariño.

Além das dissidências, têm presença no departamento a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) e o Clã do Golfo, grupo ligado ao narcotráfico, bem como grupos menores. Sem comando comum, as dissidências somam cerca de 2,5 mil membros, segundo a inteligência militar.

Embora o desarmamento dos paramilitares (2006) e das Farc (2017) tenha reduzido a intensidade do conflito, a Colômbia está mergulhada em um novo ciclo de violência por causa de organizações financianciadas pelo narcotráfico.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.