Socialismo, Comunismo e Leninismo são filhos do secretário distrital do Partido Comunista Indiano, A. Mohan, no estado de Tamil Nadu, onde esta ideologia ainda está muito em vigor.

"Meu primeiro filho nasceu na época da queda da União Soviética e em toda parte se falava que era o fim do comunismo", disse Mohan à AFP.

"Mas o comunismo não tem fim enquanto a humanidade existir, e é por isso que batizei meu primeiro filho de Comunismo", acrescentou.

Em seguida, ele nomeou os próximos dois filhos de Leninismo e Socialismo. O filho de cinco meses do Leninismo, o Marxismo, também comparecerá ao casamento no domingo.

As fotos do convite, com a foice e o martelo, emblemas do comunismo, viralizaram nas redes sociais.

A futura esposa do Socialismo se chama P. Mamata Banerjee, nome que ela deve ao avô em homenagem a uma política de esquerda, a primeira-ministra de Bengala Ocidental.

Durante a Guerra Fria, a Índia se inclinou mais para a União Soviética e nomes como Stalin, Lenin, Trotsky e até Pravda, o antigo jornal soviético, podem ser encontrados no sul do país.

O atual primeiro-ministro de Tamil Nadu é chamado M.K. Stalin. Seu pai o nomeou em homenagem a Joseph Stalin dias antes da morte do líder soviético em 1953.

Segundo Mohan, não há nada de estranho nos nomes dados a seus filhos, já que alguns de seus "camaradas" chamaram seus filhos de Moscou, Rússia, Vietnã ou Tchecoslováquia.

Ele reconhece que seus filhos, especialmente o Comunismo, foram provocados na escola. Um hospital até se recusou a recebê-lo quando ele tinha acabado de fazer três anos.

"Eles tinham medo do nome Comunismo e no começo eu tive muitos problemas. Mas com o tempo, as coisas deram certo", disse ele.

Seus três filhos, todos na casa dos vinte anos, são membros do partido comunista local.

"Agora estou esperando a neta de um de meus filhos e vou chamá-la de Cuba-ismo", disse Mohan.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.