Os resultados dos cinco mil entrevistados na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México são claros: as pessoas querem ter acesso a mais inovação em suas vidas, sejam produtos ou serviços, ou através de melhores oportunidades de trabalho e empregos melhor remunerados. Os latino-americanos valorizam as oportunidades que a inovação traz para suas vidas.

Principais conclusões:

-- 87% dos entrevistados acreditam que a promoção da inovação é crucial para o crescimento econômico e a criação de empregos.

-- Ao regulamentar produtos ou serviços inovadores, 82% nos cinco países pesquisados pensam que é importante que o governo leve em consideração a opinião dos cidadãos.

-- 85% dos entrevistados argumentam que, em uma democracia, os governos devem incentivar a inovação, pois ela cria maior liberdade de escolha para as pessoas.

-- Em todos os países, a maioria (84%) afirmou que são usuários de produtos e serviços derivados de ideias inovadoras.

A Colômbia, lar do unicórnio Rappi, é o país da América Latina onde o sentimento a favor da inovação é mais forte. Assim, 90% dos colombianos expressaram que usam produtos e serviços baseados em ideias inovadoras. Por outro lado, o Brasil apresenta os menores resultados. No entanto, também uma considerável maioria de 66% afirma fazer uso de produtos e serviços inovadores.

74% dos latino-americanos acreditam que é importante que seus governos não freiem a inovação quando ela está em seus estágios iniciais através de regulamentos que aparecem antes que o produto ou serviço seja entendido adequadamente. Além disso, a pesquisa da Somos Innovación indica que o estado atual da estrutura reguladora criou um clima perturbador de incerteza e confusão sobre a legalidade de serviços e produtos inovadores.

Por exemplo, criptomoedas como Bitcoin são legais nos países pesquisados. Mas apenas 45% acreditam que são. A percepção geral relacionada ao vaping tem pouca ou nenhuma relação com o fato de ser proibido ou permitido nos países estudados.

Federico N. Fernández, diretor executivo da Somos Innovación, explicou:

"Esses resultados mostram, sem dúvida, que as pessoas querem mais inovação. Também demonstram que a inovação é boa para os governos e para o setor privado. Por outro lado, a regulamentação mal concebida é vista como um custo e uma distorção da dinâmica econômica, como algo que coloca um limite artificial à inovação e promove a falta de regras claras para consumidores e inovadores."

Ver a versão original em businesswire.com: https://www.businesswire.com/news/home/20201208005910/pt/

Contato

Federico N. Fernández +54 9 341 657 7410 info@somosinnovacion.lat

© 2020 Business Wire, Inc. Aviso: Este documento não é de autoria da AFP e a AFP não pode se responsabilizar por seu conteúdo. Para esclarecer qualquer dúvida sobre o conteúdo, por favor, contate as pessoas/empresas indicadas neste comunicado de imprensa.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.