"Sem a IoT Industrial, a Indústria 4.0 não pode existir. Os dados são o combustível para todos os casos de uso "inteligentes" no mundo industrial. A IoT industrial é o elemento que garante a infraestrutura para coletar dados, enviá-los para a nuvem e gerenciar o feedback pós-análise, tudo dentro de um círculo virtuoso de benefícios para o negócio", explica Filippo Rizzante, CTO da Reply.

Crescimento de mercado

A pesquisa, realizada graças aos dados coletados com o uso da plataforma proprietária Trend SONAR e o suporte fornecido pelo Grupo Teknowlogy, também examina os principais mercados de fábricas inteligentes, e de transporte e logística inteligentes, agrupados em dois clusters: "Europa- 5" (Alemanha, Itália, França, Bélgica e Holanda) e" Big-5" (EUA, China, Índia, Brasil e Reino Unido).

Apesar do clima econômico difícil de 2020, ambos os clusters viram um pequeno crescimento nos investimentos em fábricas inteligentes, bem como na área de transporte e logística inteligentes. Um crescimento maior e muito mais significativo é esperado até 2025. No geral, o mercado de fábricas inteligentes do cluster "Big-5", liderado pelos EUA, deve ultrapassar EUR86 bilhões até 2025, com fortes investimentos em plataformas, soluções preditivas e monitoramento remoto. O mercado de transporte e logística inteligentes deve ultrapassar os EUR15 bilhões. Por outro lado, no cluster "Europa-5", espera-se que o mercado de fábricas inteligentes quase triplique em todos os países, atingindo um total de mais de EUR23 bilhões nos cinco países em questão, com a Alemanha na liderança. As plataformas devem experimentar um crescimento exponencial e as empresas investirão para gerenciar melhor a qualidade e reduzir custos. A Alemanha também permanecerá líder na área de transporte e logística inteligentes, mas os outros países do cluster ainda verão um crescimento significativo. Espera-se que este Cluster atinja um valor total de EUR3,6 bilhões em 2025.

O impulso do 5G e da computação de borda

A adoção de sensores de baixo custo e de redes 5G, impulsionada por grandes investimentos das empresas de telecomunicação, vai melhorar ainda mais a difusão da IoT Industrial. Por exemplo, espera-se que a comunicação melhorada entre veículos/robôs autônomos, inteligência artificial e máquinas, combinada com maior poder de computação e latência muito baixa, melhore não apenas a eficiência das plantas, mas também sua segurança. Além disso, a capacidade de criar redes privadas de alta densidade permitirá uma implantação mais ampla da IoT Industrial, bem como a conexão de um número significativo de sensores, máquinas, veículos e robôs, complementada por um maior uso de realidade aumentada e virtual para apoiar os "trabalhadores conectados".

A cibersegurança é um fator crucial

O crescimento constante de dispositivos conectados e sua heterogeneidade exige o gerenciamento de segurança ousado da política de configuração e da manutenção de dispositivos e redes. Com base na sua experiência, a Reply acredita que as organizações precisam adotar ambientes microssegmentados (in loco e/ou baseados em nuvem), que sejam estáveis e prontos para reagir tanto às tecnologias e técnicas tradicionais quanto às novas e perigosas, reduzindo assim a probabilidade de que novos tipos de ataques tenham sucesso. A análise da arquitetura de IoT, de componentes industriais e de infraestruturas inteiras, ajudará as empresas a eliminar antecipadamente as lacunas, vulnerabilidades e ameaças existentes. Mas isso é muito mais do que apenas uma questão tecnológica: programas de treinamento direcionados aos funcionários, com o estudo e teste contínuos de todos os dispositivos utilizados também serão fundamentais.

Das fábricas aos consumidores

Se, nos últimos anos, as tecnologias de Internet das Coisas Industrial foram adotadas e utilizadas, sobretudo, para melhorar a eficiência das fábricas e centros logísticos, durante a pandemia, novos investimentos foram direcionados principalmente para a melhoria da segurança do trabalhador. A tendência de longo prazo, no entanto, deve envolver diretamente os consumidores finais. O sucesso dos chamados "produtos conectados" está, de fato, acelerando os investimentos em soluções em que a coleta e o processamento dos dados de uso envolvem não apenas máquinas de produção, mas também o uso de produtos acabados. O redesenho dos processos de design, produção e distribuição de produtos conectados à IoT está permitindo a criação de serviços de valor agregado e otimizando a capacidade de atualizar e manter remotamente eletrodomésticos, carros, robôs, aparelhos eletrônicos e de entretenimento.

Para mais informações sobre a pesquisa clique: "IoT Industrial: Uma análise da realidade". Esta nova pesquisa faz parte da série de Pesquisas de Merdado da Reply, que inclui os artigos "Da Nuvem a Borda","Nova Interfaces, Zero Interfaces" e "Além do Marketing Digital".

Reply

A Reply [MTA, STAR: REY, ISIN: IT0005282865] é especializada na concepção e implementação de soluções baseadas nos novos canais de comunicação e mídias digitais. Através de sua rede de empresas altamente especializadas, a Reply define e desenvolve modelos de negócios viabilizados pelas novas tendências tecnológicas, como IA, big data, computação em nuvem, mídia digital e internet das coisas. A Reply fornece consultoria, integração de sistemas e serviços digitais para empresas de diversos setores, entre eles telecomunicações e mídia; indústria e serviços; bancos e seguros; e setores públicos. www.reply.com/br

Ver a versão original em businesswire.com: https://www.businesswire.com/news/home/20210901005083/pt/

Contato

Reply Fabio Zappelli f.zappelli@reply.com Tel. +390117711594

Aaron Miani a.miani@reply.com Tel. +44 (0)20 7730 6000

© 2021 Business Wire, Inc. Aviso: Este documento não é de autoria da AFP e a AFP não pode se responsabilizar por seu conteúdo. Para esclarecer qualquer dúvida sobre o conteúdo, por favor, contate as pessoas/empresas indicadas neste comunicado de imprensa.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.