"Rejeito formalmente a indicação para participar dos Jogos Olímpicos na prova Omnium, pois vai contra minha ética e meus valores como atleta e como pessoa", relatou Salazar na noite de quarta-feira em um vídeo que postou em suas redes.

"Caso participasse, seria o equivalente a fazer Usain Bolt correr uma maratona", comentou Salazar ao explicar que a alteração arbitrária da prova não é viável.

A ciclista esclareceu que foi na terça-feira que tomou conhecimento da inclusão de seu nome na delegação mexicana por meio das redes sociais do COM e que no momento de sua desistência não havia recebido nenhuma notificação oficial e nem havia sido convocada.

Salazar, de 25 anos, é a atual vice-campeã mundial de velocidade em pista, detém o atual recorde mundial, recebeu o mais recente Prêmio Nacional do Esporte no México e é multi-medalhista nos Jogos Pan-Americanos, Centro-Americanos e Caribenhos.

Apesar desses méritos, em junho o COM a notificou que não seria titular na prova de velocidade em Tóquio-2020 "devido a critérios de seleção pouco claros pela Federação Mexicana de Ciclismo", conforme detalhado em seu vídeo.

Originalmente Victoria Velasco, atleta juvenil de 18 anos, foi registrada pela Federação Mexicana de Ciclismo para a prova Omnium.

Na terça-feira, tanto Velasco no Omnium quanto Yareli Acevedo (19 anos) na prova de velocidade foram excluídas da lista do COM por não atenderem aos requisitos de pontuação da Union Cycliste Internationale (UCI) e mesmo assim terem sido registradas pela Federação Mexicana de Ciclismo.

Diante da desistência de Acevedo, o COM incluiu Salazar na prova Omnium de forma emergencial.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.