A Alarm Phone, uma linha telefônica de resgate no Mediterrâneo, gerenciada por voluntários, informou no sábado à noite que dois dos três barcos que se encontravam em estado "crítico" e cuja situação tinha sido denunciada anteriormente pela organização, haviam sido socorridos. Neles viajavam 160 pessoas.

"Estamos felizes em confirmar que dois dos três marcos em dificuldades foram auxiliados até #Lampedusa depois de TRÊS DIAS sem assistência", tuitou a Alarm Phone, em alusão à ilha italiana.

No entanto, a ONG acrescentou que era desconhecido o paradeiro de um terceiro barco, detectado na sexta-feira a sudoeste de Malta.

Na noite de sexta-feira, a Alarm Phone avisou sobre a presença de três barcos com migrantes a bordo dentro ou perto dos limites das zonas de busca e resgate de Malta e Itália.

As embarcações haviam sido detectadas por outra organização humanitária, a Sea-Watch, que alertou os navios mercantes que estivessem próximos para resgatar os migrantes.

No entanto, as forças armadas maltesas e a guarda costeira italiana se negaram a ajudar ou a coordenar o resgate por parte destes navios mercantes, segundo o grupo, uma informação que não pôde ser checada imediatamente.

Nenhuma autoridade respondeu aos pedidos de comentários por telefone e e-mail.

Na noite deste sábado, a Alarm Phone informou que as pessoas a bordo do barco menor contaram que água estava começando a entrar, enquanto que as aproximadamente cem pessoas de outra embarcação entraram em pânico, sem comida ou água por 40 horas.

A Alarm Phone explicou ter perdido contato com o terceiro barco que levava 110 pessoas no sudoeste de Malta.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.