Questionada pela AFP, a empresa farmacêutica disse que identificou um lote de doses em uma fábrica da Emergent BioSolutions em Baltimore "que não atendia aos padrões de qualidade", mas não confirmou o número específico de vacinas afetadas.

A empresa também disse que o lote "nunca avançou para os estágios finais do processo de fabricação".

"Qualidade e segurança continuam sendo nossas principais prioridades", afirmou.

O Times noticiou que problemas com o controle de qualidade podem afetar a colocação futura desta vacina de dose única e que uma investigação pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA é esperada.

A Johnson & Johnson disse que está enviando mais especialistas ao local para "supervisionar, dirigir e apoiar toda a produção da vacina anticovid", da qual espera fornecer mais 24 milhões de doses "durante o mês de abril".

A fábrica Emergent BioSolutions não foi licenciada pelos reguladores para produzir uma "substância medicamentosa" para a vacina J&J, disse a empresa, mas a mídia dos EUA informou que espera-se que produza milhões de doses em um futuro próximo.

A vacina J&J tem sido elogiada por ser de dose única e não necessitar de temperaturas tão baixas para sua conservação quanto as da Moderna e Pfizer, o que simplifica sua distribuição.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.