A Câmara decidiu por consenso emitir o chamado Status de Proteção Temporária por cinco anos para residentes de Hong Kong, o que significa que eles terão o direito de trabalhar nos Estados Unidos e não poderão ser deportados neste intervalo.

A iniciativa ainda não foi aprovada pelo Senado, mas conta com o respaldo dos partidos, ao contrário de uma proposta anterior dos democratas de estender o status aos venezuelanos, que foi bloqueada pelo presidente Donald Trump e pelos republicanos.

O congressista Tom Malinowski, um democrata que apoiou a lei, disse que a medida é mais poderosa do que "impor algumas sanções" às autoridades chinesas, como o Departamento de Estado fez novamente nesta segunda-feira.

"A melhor forma de vencer uma ditadura é confrontar a força do nosso sistema contra a fraqueza do seu, manter o contraste evidente entre a nossa democracia livre, aberta e autoconfiante e a fraqueza do sistema opressor, fechado e temeroso que o Partido Comunista impôs ao povo chinês, mesmo agora em Hong Kong", disse Malinowski na Câmara.

"Na verdade, é muito mais do que um gesto humanitário, é uma das melhores maneiras de dissuadir a China de esmagar Hong Kong", acrescentou.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.