Qiu Ziming, 38 anos, que tem mais de 2,5 milhões de seguidores no Weibo, a rede social chinesa similar ao Twitter, foi condenado a oito meses de prisão, anunciou o tribunal da cidade de Nanjing.

Qiu "infringiu a reputação e a honra de heróis e mártires ... e confessou seus crimes", afirma o veredicto.

No Weibo, Qiu sugeriu que o balanço real de mortes poderia ser maior que o divulgado oficialmente.

Ele é a primeira pessoa detida com base em um novo dispositivo da lei penal chinesa que proíbe a "difamação de mártires e heróis".

Depois de meses de silêncio, o exército chinês anunciou em fevereiro que quarto soldados morreram em um confronto com tropas indianas no disputado vale de Galwan em junho do ano passado.

Esta foi o pior conflito na fronteira entre China e Índia em décadas.

Os soldados foram homenageados de maneira póstuma como "heróis defensores da fronteira".

prw/apj/lb/zm/mis/fp

Weibo

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.