"Continuaremos cooperando com as autoridades antitruste para frear os monopólios e trabalharemos ativamente contra a discriminação dos algoritmos e outras novas formas de práticas contrárias à concorrência", disse o governador do Banco Popular da China, Yi Gang, durante uma conferência do Banco de Pagamentos Internacional sobre a regulação do setor.

Em seu discurso, Yi afirmou ainda que o Banco Central reforçará a supervisão na indústria de pagamentos digitais e pedirá que todas as empresas de serviços financeiros tenham uma licença.

"As principais plataformas da China obtiveram dados em massa dos usuários", disse Yi, observando que isso "pode levar a um monopólio do mercado e comprometer a eficiência na inovação".

No ano passado, as autoridades chinesas miraram nas grandes empresas de tecnologia do país, como o gigante do comércio eletrônico Alibaba, ou a plataforma de entrega rápida de comida Meituan, acusando-as de práticas monopolísticas e de fazerem uma agressiva coleta de dados dos consumidores.

Esse esforço faz parte de uma política mais ampla, por parte do governo, para manter o controle da segunda economia mundial em setores como educação privada, cassinos, ou imobiliário.

Entre os mais afetados, está o império Alibaba, do magnata Jack Ma. Há quase um ano, a bilionária entrada na Bolsa de sua subsidiária Ant Financial foi suspensa no último minuto pelos órgãos reguladores.

lxc/rox/dan/dbh/mar/tt

Alibaba

BANK OF CHINA

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.