Segundo um comunicado das Forças Armadas, o navio foi interceptado na noite de quinta-feira (3) quando pousou no setor Brus Laguna, departamento de Gracias a Dios, nordeste de Honduras.

Após a aterrissagem, "houve um confronto, deixando morto um civil, que ajudava a descarregar a droga, e um atirador ferido", de acordo com a nota. Pacotes com pelo menos 40 quilos de cocaína foram encontrados.

Segundo o porta-voz das Forças Armadas, José Antonio Coello, o voo partiu da América do Sul, provavelmente da Venezuela.

"Foram encontrados vários pacotes de drogas e vários quilos de cocaína espalhados na área. Operações fluviais e terrestres buscam outros integrantes dessa célula do tráfico que descarregavam parte da droga", acrescentou Coello.

De sua sede em Honduras, o Sistema das Nações Unidas alertou em nota sobre o "uso fraudulento" da logomarca do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), detectada na aeronave interceptada.

"O PNUMA esclarece que não autorizou o uso de seu emblema em aeronaves da região da América Latina e do Caribe, e não conhece a origem ou finalidade da tripulação deste avião", declarou.

Segundo os Estados Unidos, 90% da cocaína que chega ao país atravessa a fronteira em aviões leves, barcos e até submarinos a partir do México e da América Central.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.