Barty tinha o jogo sob controle com um placar de 6-3 e 4-0 quando Andreescu, número nove do ranking mundial, deixou o jogo com uma contusão na perna direita.

Andreescu, de 20 anos, sofreu uma forte queda no terceiro game do segundo set e, após receber atendimento médico no tornozelo, tentou continuar jogando.

Depois de mancar durante um game, Andreescu deixou a quadra aos prantos em um novo episódio de seu infortúnio com lesões, que retardaram sua carreira nos últimos anos.

Aos 24 anos, Barty conquista assim o décimo troféu para sua galeria, que inclui um título de Grand Slam em Roland Garros-2019.

Com sua segunda classificação para a final de Miami depois de 2019 (em 2020 o torneio foi cancelado por causa do coronavírus), Barty já havia garantido a manutenção da liderança do ranking da WTA, posição que ocupa desde junho de 2019.

Barty teve que salvar um match point contra a eslovaca Kristina Kucova em sua estreia em Miami, onde ela chegou depois de uma viagem de quase 50 horas vinda da Austrália.

Após o susto inicial, Barty cedeu apenas um set nas partidas seguintes para a letã Jelena Ostapenko, a ex-número um do mundo Victoria Azarenka e a ucraniana Elina Svitolina.

Neste sábado, a australiana protagonizava mais uma atuação devastadora contando com seu poderoso saque, que lhe permitiu conquistar 77,8% dos pontos com seu primeiro serviço.

O duelo deste sábado foi o primeiro entre duas das melhores jovens tenistas do circuito, que quase não competiram desde o hiato da covid-19 do ano passado.

Andreescu, que passou um ano de 2020 em branco devido a lesões e restrições provocadas pela pandemia, disputava sua primeira final desde seu triunfo retumbante em Flushing Meadows em 2019, em busca de seu quarto título de WTA.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.