Os referidos estados estão localizados principalmente no sul e centro-oeste do país, e seu número total subiu em relação aos 9 de 2018 e 12 de 2019. O estudo é resultado de pesquisas telefônicas pessoais e define como obesidade um Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou superior a 30.

A pesquisa do CDC mostrou que a obesidade triplica o risco de hospitalização por Covid-19, uma vez que essa condição está ligada a uma função imunológica deteriorada. Também reduz a capacidade pulmonar e pode dificultar a ventilação.

Os 16 estados que alcançaram a taxa de obesidade foram Alabama, Arkansas, Delaware (novo este ano), Indiana, Iowa (novo), Kansas, Kentucky, Louisiana, Michigan, Mississippi, Ohio (novo), Oklahoma, Carolina do Sul , Tennessee, Texas (novo) e Virgínia Ocidental.

O CDC também estudou dados combinados entre 2018 e 2020 para entender as diferenças raciais. Nenhum estado apresentou prevalência de obesidade acima de 35% entre os asiáticos, embora alguns estudos tenham mostrado que riscos à saúde relacionados à obesidade podem ocorrer em asiáticos com IMC mais baixo.

Sete estados tiveram alta prevalência de obesidade em pessoas brancas; 22 estados tiveram alta prevalência de obesidade entre hispânicos; e 35 estados e o Distrito de Columbia tiveram alta prevalência de obesidade entre os negros.

A prevalência de obesidade diminui com o nível de instrução. Adultos sem ensino médio ou equivalente apresentaram o maior índice de obesidade (38,8%), enquanto estudantes universitários tiveram o menor (25%).

Adultos com idade entre 18 e 24 anos tiveram o índice mais baixo (19,5%), em contraste com os adultos de 45 a 54 anos (38,1%).

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.