Dois dos detidos foram colocados sob custódia por "violência voluntária com arma". Segundo os primeiros elementos da investigação, revelados pela promotoria, "o homem se apresentou em frente ao Palácio do Eliseu portando uma garrafa contendo um líquido e um pedaço de tecido previamente em chamas. Diante da presença policial, jogou a garrafa no chão."

Segundo uma fonte ligada ao caso, trata-se do artista Alexéi Kuzmich, 33, de Belarus. Em sua conta no Instagram, ele afirma, na mensagem "Carta a Macron. Presidente. França", que foi a Paris "cumprir uma revolução em um país que se relaciona hoje com o fascismo".

O artista compara o presidente francês ao chefe de Estado de Belarus, Alexander Lukashenko, que provocou uma grande onda de protestos a partir de 2020. As duas pessoas que estavam com ele - um homem e uma mulher - "fotografavam e filmavam a cena", segundo o Ministério Público de Paris.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.