"Condenamos e denunciamos energicamente o ataque terrorista que causou mortes e feridos em Nice, na França", declarou o Ministério das Relações Exteriores saudita no Twitter.

"Reiteramos a rejeição categórica da Arábia Saudita a tais atos extremistas que são contrários a todas as religiões, crenças e bom senso", acrescentou o texto.

Além disso, a Arábia Saudita pediu que "as práticas que levam ao ódio, à violência e ao extremismo sejam rejeitadas".

O ataque de Nice ocorreu no mesmo dia em que um guarda do consulado francês na cidade saudita de Jeddah foi ferido a uma faca.

Nem a embaixada nem as autoridades sauditas especificaram o motivo do ataque, que ocorreu em um contexto de raiva no Oriente Médio contra o presidente francês Emmanuel Macron.

Macron defendeu recentemente as charges do Profeta Maomé em uma homenagem nacional após o ataque de um extremista islâmico que decapitou um professor francês, Samuel Paty, em 16 de outubro, que mostrou as charges para uma turma durante um curso sobre liberdade de expressão.

A Arábia Saudita não comentou as palavras de Macron, mas rejeitou qualquer tentativa de vincular o Islã ao "terrorismo".

bur-ac/feb/vg/mab/mb/cc

Twitter

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.