Dezenas de milhares de agricultores acampam desde o final de novembro na periferia da capital indiana, decididos a manter o bloqueio até que o Executivo liderado por Narendra Modi recue em seus planos de liberalizar os mercados agrícolas.

Nesta terça-feira, os agricultores planejam bloquear as principais estradas e linhas ferroviárias do país por várias horas.

A mobilização conta com o apoio dos ferroviários, transportadoras, professores e sindicatos.

As autoridades enviaram milhares de policiais para as ruas de Nova Delhi e reforçaram a segurança no restante do país para evitar confrontos.

Rakesh Tikait, um líder do movimento de protesto, pediu aos habitantes que evitem os deslocamentos nesta terça-feira e aos comércios que fechem suas portas.

"Queremos apenas que retirem essas novas leis, nada mais", enfatizou Balbir Singh Rajewal, um representante dos agricultores.

Até o momento, agricultores e ministros participaram em cinco rodadas de negociações, que não deram frutos.

Com essas novas reformas, os agricultores poderão vender seus produtos a um comprador e ao preço que desejarem, não unicamente nos mercados regulados pelo Estado (chamados "mandis"), cujos preços são fixos.

Os agricultores temem que as grandes empresas se aproveitem da nova lei para diminuir os preços.

Por sua vez, o governo afirma que as leis são necessárias para garantir o futuro do setor agrícola, fundamental na economia indiana.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.