A EMA anunciou que um painel de especialistas "recomendou ampliar a indicação da vacina Comirnaty para incluir as crianças de entre 5 e 11 anos", afirmou a agência, ao citar o nome comercial do imunizante.

A vacina de RNA mensageiro já havia sido autorizada em adolescentes a partir de 12 anos nos 27 países da União Europeia (UE).

Fora da Europa, o imunizante da Pfizer já foi aprovado para crianças de 5 a 11 anos em países como Estados Unidos, Israel e Canadá.

As crianças desta faixa etária receberão um terço da dose aplicada nas pessoas mais velhas, em duas doses com três semanas de intervalo, explicou a agência europeia.

A vacina demonstrou eficácia de 90,7% em um teste com 2.000 crianças nesta faixa etária.

Os efeitos colaterais foram classificados como "leves a moderados". Podem durar alguns dias e se apresentam como dor localizada na área da inoculação, fadiga, dor de cabeça e/ou musculares ou resfriado.

Desta maneira, a EMA "concluiu que os benefícios da Comirnaty em crianças de 5 a 11 anos superam os riscos, particularmente entre aqueles com comorbidades que podem aumentar o risco de contrair uma forma grave de covid-19", de acordo com o comunicado.

A EMA autorizou quatro vacinas contra a covid para a população em geral: as da Pfizer e Moderna, de RNA mensageiro, e as da AstraZeneca e Johnson & Johnson, que utilizam a técnica de "vetor viral não replicante", baseada em adenovírus.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.